Curta nossa pagina no Facebook e participe dos nossos grupos de Whatsapp/ É finalmente neste final de semana o grande e esperado Luau dos Laranjas na praia de Camapum, não perca! / nosso site está passando por atualizações durante esse final de mês de novembro.
Destaques
SEJA NOSSO APOIADOR, CONTRIBUA COM O NOSSO TRABALHO.
recent

Lázaro Barbosa é morto após 20 dias de buscas

Após 20 dias de buscas, Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, suspeito de matar uma família no Distrito Federal e balear outras cinco pessoas numa série de assaltos em chácaras na capital do país e em Goiás, foi baleado e morto pela força-tarefa formada por quatro corporações. Lázaro chegou a ser encaminhado ao hospital, mas morreu, de acordo com os policiais.

O maníaco estava à caça do foragido havia 20 dias. Nesse período, o suspeito invadiu várias propriedades rurais fez reféns, roubou alimentos e impôs terror com violência e ameaças.

Pessoas ligadas a Lázaro chegaram a fazer contato com um advogado criminalista para negociar sua rendição. O foragido planejava se entregar à polícia de uma forma que garantisse a sua integridade física.

Telefones de familiares, amigos e um aparelho que Lázaro carregava pela mata durante a fuga cinematográfica foram grampeados e monitorados pelas equipes de investigação. As informações facilitaram a prisão do maníaco.

Veja o histórico de prisões e fugas:

2007: Lázaro Barbosa foi preso em Barra dos Mendes, na Bahia, acusado de matar duas pessoas. Secretaria de Segurança Pública da Bahia diz que ele fugiu cerca de 10 dias após a prisão e é considerado foragido desde então;

2009: Lázaro foi preso Corumbá de Goiás, suspeito de roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo;

2013: Laudo psicológico feito na cadeia no DF descreve Lázaro como “psicopata imprevisível”, com comportamento agressivo, impulsivo, instabilidade emocional e falta de controle e equilíbrio;

14 de março de 2014: Prisão de Lázaro foi convertida para regime semiaberto;

28 de março de 2016: Lázaro fugiu da cadeia na Penitenciária da Papuda, em Brasíia, após um “saidão” de Páscoa;

8 março de 2018: Lázaro Barbosa foi preso em Águas Lindas de Goiás por mandados de prisão por homicídio qualificado, porte ilegal de arma de fogo, roubo e estupro;

23 de julho de 2018: Lázaro fugiu da cadeia em Águas Lindas de Goiás;

8 de abril de 2020: Ele foi indiciado pelos crimes de roubo mediante restrição da liberdade das vítimas e emprego de arma branca e por tentativa de latrocínio, por suspeita de invadir uma chácara em Santo Antônio do Descoberto, Goiás. Na época ele golpeou um idoso com um machado;

26 de abril de 2021: Lázaro invadiu uma casa no Sol Nascente (DF), quando trancou pai e filho no quarto e levou a mulher para um matagal e a estuprou;

17 de maio de 2021: Segundo a polícia, ele fez uma família refém na mesma região, ameaçando os moradores com faca e arma de fogo. Nesse crime, ele mandou as pessoas ficarem nuas;

5 de junho: Polícia Civil investiga a morte de um caseiro em uma fazenda no distrito de Girassol, em Cocalzinho de Goiás quatro dias antes da chacina em Ceilândia;

9 de junho de 2021: Lázaro é suspeito de invadir uma chácara no Incra 9, em Ceilândia (DF), onde teria matado a tiros e a facadas um casal e dois filhos. Ele também praticou roubos na no local após o crime. Ele teria rendido o caseiro, o dono da propriedade e a filha dele.

11 de junho de 2021: Lázaro fugiu para Cocalzinho de Goiás.

12 de junho de 2021: ele atirou em quatro pessoas, invadiu fazendas e colocou fogo em uma casa ao fugir da polícia. Os feridos foram levados a hospitais da região e um deles estava internado até a quarta-feira (23).

13 de junho de 2021: Furtou um carro e o abandonou na BR-070 dando sequência à fuga para uma mata;

14 de junho de 2021: Caseiro de Cocalzinho de Goiás disse à polícia que atirou em Lázaro Barbosa após ele falar que ia entrar na casa. Chacareiro relatou que ele fugiu depois de ser atingido.

15 de junho de 2021: Dois policiais militares de Goiás foram baleados durante buscas do suspeito. Delegado diz que Lázaro fez casal e adolescente reféns em Edilândia, povoado de Cocalzinho.

16 de junho de 2021: Lázaro Barbosa foi visto por um morador em uma área rural;

17 de junho de 2021: a polícia retomou as buscas em matas da região e mudou a base de operação pela segunda vez. Houve nova troca de tiros e secretário de Segurança Pública disse acreditar que fugitivo estava ferido;

18 de junho de 2021:, houve intensa movimentação da força-tarefa após denúncia de que criminoso havia sido visto em chiqueiro de chácara. Barreiras em estradas e rodovias foram montadas.

19 de junho de 2021:, a houve uma grande movimentação de policiais na região de Águas Lindas de Goiás depois que moradores afirmaram terem visto o suspeito pela região. Um deles chegou a contar que viu Lázaro em uma gruta. Uma cadela que atuou em Brumadinho e outros três cães farejadores chegam para ajudar nas buscas por Lázaro Barbosa.

20 de junho de 2021: com medo de Lázaro, uma família com grávida dormiu dentro de carro em frente à sede da força-tarefa em Cocalzinho de Goiás. Novas buscas ocorrem na zona rural.

21 de junho: uma moradora denunciou que viu um homem, parecido com o fugitivo, passar por uma propriedade rural. Policiais e bombeiros com cães farejadores acompanharam a mulher para fazer uma verificação na área;

22 de junho: policiais retomaram buscas por Lázaro e receberam rádios comunicadores do Exército, com alcance de 30km. Um carro queimado, um lençol e um serrote foram encontrados em um local onde o criminoso pode ter se abrigado. Também houve uma troca de tiros entre um caseiro e um suposto invasor;

23 de junho: Um fazendeiro disse que atirou contra um invasor na região de buscas por Lázaro Ele relatou que o local tinha sido furtado dias antes. Buscas pelo fugitivo se concentravam em área de chácaras nas proximidades da BR-070, em Goiás;

24 de junho: Polícia Rodoviária Federal faz barreiras nas estradas em busca do fugitivo. Operações policiais contavam com imagens de satélite e drones com visão térmica.
Twitter: @Leitura_M

Twitter: @Leitura_M


Tecnologia do Blogger.