TSE libera ferramenta para consulta de candidaturas/ Serasa oferece até 50% de desconto em renegociação de dívidas/ STF declara inconstitucional a impressão do voto pela urna eletrônica/ Eleitor sem máscara não poderá acessar o local de votação diz TSE/ Anuncie em nosso site e aumente suas vendas, chama no chat e veja como solicitar
Destaques
SEJA NOSSO APOIADOR, CONTRIBUA COM O NOSSO TRABALHO.
recent

Cel Hélio Oliveira (PRTB) celebra avanço de Bolsonaro no Nordeste

Pesquisas divulgadas na última semana mostram o crescimento da aprovação do Governo Bolsonaro no Nordeste e também no Rio Grande do Norte. No estado foram realizadas 12 pesquisas nas regiões do Seridó, Vale do Assu, Oeste, Agreste, no Mato Grande e na Grande Natal. Para o empresário e pré-candidato a prefeito de Natal pelo PRTB, Coronel Hélio Oliveira, a mudança é um reflexo da atuação do Governo Federal em relação às áreas econômicas e da saúde diante da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19). 


Coronel Hélio avalia que o Governo Federal tem acertado e que as pessoas têm compreendido o esforço do presidente e das suas equipes econômicas e de saúde na tentativa de contribuir com ações de enfrentamento à pandemia. “Os auxílios emergenciais, a liberação de recursos para estados e municípios e o apoio às empresas e microempresas, além de outras ações de enfrentamento à pandemia demonstram que há um grande compromisso do Governo Federal e que nele existem pessoas comprometidas com valores, princípios e moralidade que é, de fato, o que nos une. Neste momento, não podemos descuidar da saúde, é claro. Mas também precisamos focar na geração de emprego e renda para prepararmos o nosso estado e o nosso município para um urgente e necessário recomeço”, pontua o presidente estadual do PRTB. 

Em municípios como Caicó, Acari, Alexandria e Assu, a popularidade e aprovação do presidente aumentou mais que 50%, segundo dados das pesquisas divulgadas pelo Blog do BG. Nas cidades do Oeste pesquisadas, nas quais o presidente Bolsonaro perdeu para o adversário Haddad em 2018, ele tem hoje 40% de aprovação. Em Ceará-Mirim, a elevação da popularidade do presidente também é clara. Em média, em grande parte dos municípios potiguares, a aprovação do governo subiu 25%. Em duas cidades  a pesquisa não cita quais nas quais o presidente tinha rejeição de 60% em dezembro de 2019, passou a ter 45% de aprovação e a rejeição caiu pela metade, para 30%. 

Coronel Hélio Oliveira, que também exerce a função de Diretor de Relações Institucionais da Associação dos Pólos Industriais do RN (ASPIRN), explica que a elevação dos gastos governamentais com controle e fiscalização de tributos implica em mais dinheiro com custeio da máquina pública e menos recursos disponíveis para aqueles que desejam empreender. “O governo, ao invés de ‘incentivar’ arbitrariamente e intervir nos diversos setores da economia, deveria, na verdade, responsabilizar-se por simplificar tributos, facilitar o ambiente de negócios e torná-lo previsível para todos. Só será possível atrair novos investimentos ao propiciar um ambiente de maior liberdade econômica e segurança jurídica, incentivando o pequeno e médio empreendedor”, pontua. 

Para ele, é preciso que o Executivo se preocupe com a recuperação da economia, mas também com a manutenção e a criação de empregos pós-pandemia. “A desigualdade pode ser combatida com mais eficácia a partir da geração de emprego e renda para população. O Governo deve atuar como um facilitador desse processo e, sempre que possível, como um capacitador da mão-de-obra para que as pessoas possam gerar sua própria riqueza, estimulando um ambiente de maior empreendedorismo”, conclui Coronel Hélio. 

Cenário Nacional

A pesquisa feita pelo Instituto Paraná Pesquisas entre os dias 18 e 21 de julho e divulgada pela Veja mostrou um salto no número de nordestinos que dizem aprovar a gestão federal em relação ao levantamento anterior, feito entre 27 e 29 de abril. Há três meses, 30,3% da população do Nordeste dizia aprovar o governo, número que passou a 39,4% em julho, avanço de 9,1 pontos porcentuais. Entre os que responderam que desaprovam o governo Bolsonaro, a proporção passou de 66,1% para 56,8%, recuo de 9,3 pontos.


COMPARTILHE:
Twitter: @Leitura_M

Twitter: @Leitura_M

Tecnologia do Blogger.