TSE libera ferramenta para consulta de candidaturas/ Serasa oferece até 50% de desconto em renegociação de dívidas/ STF declara inconstitucional a impressão do voto pela urna eletrônica/ Eleitor sem máscara não poderá acessar o local de votação diz TSE/ Anuncie em nosso site e aumente suas vendas, chama no chat e veja como solicitar
Destaques
SEJA NOSSO APOIADOR, CONTRIBUA COM O NOSSO TRABALHO.
recent

RN será único estado do País com queda no PIB em 2020, destaca imprensa nacional

Um levantamento feito pela Tendências Consultoria Integrada aponta que o Rio Grande do Norte será o único estado da Federação a ter queda no PIB (Produto Interno Bruto) em 2020. A notícia também foi publicada pelo jornal Estado de S. Paulo e pelo portal da revista Exame, uma das principais publicações do jornalismo econômico brasileiro.


A previsão é de um avanço de cerca de 2% do PIB nacional neste ano, mas ainda dependendo das notícias vindas do mercado internacional. De acordo com a Tendências, os outros 26 Estados e o DF terão desempenho positivo nesse ano.

Além disso, apenas 12 estados e o Distrito Federal deverão terminar 2020 com o Produto Interno Bruto (PIB) acima do nível pré-crise. Apesar das expectativas de maior expansão da atividade econômica neste ano, os demais Estados ainda precisarão de mais tempo para recuperar o tamanho que sua economia tinha antes da recessão, em 2013 e 2014, segundo levantamento feito pela instituição. Nessa lenta recuperação, o PIB brasileiro ainda fechará 2020 1% abaixo do nível pré-crise.

O resultado reflete em boa medida a grave situação fiscal dos estados. Com despesas de pessoal elevadas e arrecadação ainda baixa, alguns estados – como é o caso do Rio Grande do Norte – cortaram investimentos para fechar a conta no azul – estratégia também observada na esfera federal. Sem investimento de peso, elevado desemprego e alto endividamento das famílias, a saída da crise tem sido mais demorada que em outros períodos.

Entre 2014 e 2016, o PIB nacional encolheu 6,7% enquanto que entre 2017 e 2018 a taxa média de crescimento foi de 1,3%, destaca o economista da Tendências, Lucas Assis, responsável pelo trabalho: “O ano de 2019 foi decepcionante do ponto de vista econômico, com a frustração das expectativas de crescimento”.

Fonte: Portal Grande Ponto
COMPARTILHE:
Twitter: @Leitura_M

Twitter: @Leitura_M

Tecnologia do Blogger.